Vinte

Foto Se for para contar a sua história de vida, como começar? Escrever é fácil para mim. As palavras saem tão facilmente como um m...


Se for para contar a sua história de vida, como começar?

Escrever é fácil para mim. As palavras saem tão facilmente como um músico canta sem esforço algum. Como um pianista passa seus dedos pelas teclas do piano tão suavemente que parece uma pluma, formando uma melodia. Como um aquarelista borra suas tintas no papel formando ilustrações únicas. Escrever é natural de mim. Mas escrever sobre mim é desafiador.
Hoje escrevo para dizer sobre os vinte que aqui chega. Entre os dezenove e os vinte algo aconteceu. No meio de um terreno vazio brotou e se iniciou o processo do florescimento. Deus aconteceu em mim esse ano. Foi Ele que me fez florescer. E é Ele que me motiva a continuar nesse processo.
Entre 21 de dezembro de 2015 e 21 de dezembro de 2016 muita coisa aconteceu. 365 dias é um tempo bom para colecionar memórias. É um tempo bom capaz de moldar quem você é. Entre o intervalo dessa data de um ano para o outro muito se aprende, muito se continua igual, muito se muda, muito deixasse de ser, muito se é, muito torna-se.
Eu me tornei amor.
Toda história que é contada revela um pouco da essência de cada um. Eu fui criada para viver uma história de amor. Uma história de amor entre eu e Deus. Assim como você. Eu conto minha história revelando a essência de Deus em mim.
Hoje vinte. Amanhã quem sabe?
Alma de pequenina num corpo menor ainda. Jornalista não por acaso, mas porque Papai quer aperfeiçoar meu dom. Sensível porque Papai me deu um coração capaz de amar mesmo quando doer muito. Escritora porque Papai quer que escreva sobre Ele e sobre o sentimento mais precioso que Ele nos deixou: o amor.
A verdade é que todos os dias eu tenho me tornado alguém diferente. Moldada pelo Espírito. Pelo amor que me ensina a dar um passo de cada vez, sem medo, mesmo que no escuro. Moldada pelas batalhas pessoais. Pelas alegrias de cada dia. Por todo dia abandonar a Dani que um dia deixei que criassem para me tornar a Dani que Deus criou para ser.
Vinte é um número bom. Ainda mais por guardar tanta memória boa.

You Might Also Like

0 comentários